• 44 3423-2538
  • Rua doutor Silvio Meira de Sá Bezerra, 200, jardim progresso, Paranavaí - Paraná

CONSTRUÇÃO A SECO: O FUTURO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL

A construção a seco consiste basicamente em empregar materiais semiprontos para edificações, sem retrabalho e desperdício de matéria-prima, economizando tempo e produtos. Em poucos dias a obra ganha corpo e pode ser ocupada rapidamente pelo usuário.

O sistema é amplamente usado nos Estados Unidos e na Europa. Consiste em uma base de superfície estruturada por aço ou madeira e recoberta por materiais de acabamento, como as placas cimentícias, por exemplo.

Wood Frame e Steel Frame

Wood Frame é um sistema construtivo com a estrutura de painéis em madeira, enquanto o sistema Steel Frame utiliza estrutura leve de perfis de aço galvanizado.

Esses métodos são chamados de “construção a seco” justamente por não utilizar água no canteiro de obras, com exceção da parte da fundação.

Um pouco de história

Em alguns países, como é o caso da Alemanha, os elementos estruturais em madeira ficavam expostos no exterior (o que virou uma característica típica arquitetônica do país). Lá, o Wood Frame, ficou conhecido como “Fachwerk”.

Já na Inglaterra, na França e em países escandinavos (onde havia abundância no suprimento de madeiras), ficou conhecido como “Tudor”.

Nos Estados Unidos, a partir do século XIX, o Wood Frame foi o método responsável por suprir grande parte da demanda de moradia.

Aproximadamente um século depois do método Wood Frame ter chegado aos EUA, foi apresentado na Feira Mundial de Chicago um protótipo de residência utilizando o estrutura de aço ao invés da madeira.

No período pós Segunda Guerra Mundial, com o aumento da economia americana e o aumento na produção do aço, o Steel Frame foi tomando espaço.

Quase 100% das residências no Canadá e na Suécia são construídas a partir de Wood Frame. Mas somente nos anos 1990 essa tendência chegou no Brasil.

No Brasil, seu uso  começa a deslanchar, embora ainda  faça parte da cultura nacional utilizar construções de alvenaria. Mas isso está mudando e, em breve, a adesão sustentável vai conquistar cada vez mais construtoras e empreendedores.

Benefícios e vantagens

No caso do Wood Frame, a utilização de materiais renováveis é uma particularidade.

No Steel Frame, a resistência ao fogo e o ambiente antialérgico são os destaques.

Em geral, nos dois sistemas temos em comum:
– Obra limpa: esses mecanismos de construção anulam o acúmulo de entulhos gerados em métodos como alvenaria.

– Resistência e durabilidade: a durabilidade varia de acordo com a qualidade da madeira e/ou aço, mas as construções chegam a durar por séculos!

– Sustentabilidade: a madeira utilizada no Wood Frame vem de reflorestamento e o uso deste sistema construtivo ajuda a reduzir a emissão e gás carbônico; enquanto o sistema Steel Frame é considerado amigo do meio ambiente por não utilizar água e a não gerar entulho.

– Economia de tempo: se comparados ao sistema convencional, no Steel Frame e Wood Frame, as obras são executadas num curto espaço de tempo.

NTF: a tecnologia Infibra para construções a seco

Versatilidade! Esse é sinônimo mais marcante da nossa placa cimentícia.

As Placas Cimentícias NTF Infibra fazem parte da Nova Tecnologia de Fibrocimento (NTF) – um novo conceito de forte apelo ecológico porque sua produção não utiliza fibras minerais e sintéticas, aproveita materiais simples e tem baixo consumo de água e energia.
São elaboradas a partir de uma mistura homogênea de cimento, calcário e fibras vegetais mineralizadas. Apresentam superfície lisa e homogênea, porém características de uma superfície de cimento.

Por serem resistentes aos esforços mecânicos e à ação da umidade, são ideais para uso em paredes internas e externas.

As placas NTF têm grande estabilidade dimensional (não se deformam), excelente resistência,  baixa densidade, pouca absorção de água e umidade e grande durabilidade.

São fabricadas em diversos tamanhos e podem combinar na obra para obtenção de um aspecto estético moderno.

As placas cimentícias NTF são fabricadas de acordo com a NBR 15498.

Fonte: Infibra S/A

Escreva um Comentário